doi: 10.19277/bbr.18.2.273.pt

Pin It

Ciências Biofarmacêuticas, Biomed Biopharm Res., 2021; 18(2): 263-273

 

doi: 10.19277/bbr.18.2.273; [+] versão PDF aqui; [+] versão inglês html aqui

 

Eficácia clínica de uma formulação cosmética contendo vitamina B3 para o tratamento da pele oleosa

Marcella Gabarra Almeida Leite & Patrícia Maria Berardo Gonçalves Maia Campos*

Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Av. do Café S/N, Monte Alegre, 14040-903, Ribeirão Preto, SP, Brasil

*autor para correspondência: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 Abstracto

A pele oleosa apresenta necessidades especiais, como o tratamento e a prevenção da acne inflamatória e controle do sebo, sem comprometer a integridade da função barreira e hidratação. Assim, a importância do desenvolvimento de formulações cosméticas específicas e inovadoras para esse tipo de pele, adequadas as suas necessidades, é evidente. Nesse contexto, o objetivo do presente estudo foi a avaliação da eficácia clínica de formulações contendo vitamina B3 para o tratamento da pele oleosa por meio de técnicas de biofísica e análise de imagem. Participantes do sexo feminino (n=40), idade entre 18 e 30 anos, pele oleosa e/ou acne inflamatória foram selecionadas para o estudo e receberam a formulação contendo ou não (veículo) 3% de vitamina B3. Foram avaliados o conteúdo aquoso do estrato córneo, TEWL, conteúdo de sebo e porfirinas e aplicado um questionário da eficácia percebida. A formulação contendo vitamina B3 mostrou redução significativa no conteúdo de sebo e porfirinas. Esses resultados também foram relatados pelas participantes na avaliação da eficácia percebida.A vitamina B3 foi efetiva para a aplicação em formulações para os cuidados da pele oleosa, atuando em parâmetros importantes, como o controle da oleosidade e melhora da aparência da pele.

 

Palavras-chave: cosméticos, Niacinamida, fisiologia da pele, pele oleosa, biofísica e análise de imagem da pele

 

Recebido: 01/12/2021; Aceite: 31/12/2021

 

Introdução

A pele oleosa, também denominada seborreia, é uma das alterações mais comuns, acontecendo principalmente na adolescência e em jovens adultos. Nesse tipo de pele, as glândulas sebáceas se apresentam aumentadas, o que leva a uma produção excessiva de sebo, causando uma aparência brilhante e oleosa, podendo promover a formação de acne (1). É também descrita com um aumento da espessura da pele, com a presença de poros largos, se apresentando mais visíveis nas regiões do nariz e testa (2). Essas características são consideradas esteticamente perturbadoras e são consideradas um sério problema cosmético, apresentando influencia na qualidade de vida e auto percepção de forma negativa (3).

Essa condição apresenta necessidades especiais, assim como o tratamento e a prevenção da acne não inflamatória e o controle do sebo, em conjunto com a manutenção da integridade da função barreira da pele e hidratação. Dessa forma, a aplicação de vitaminas em formulações cosméticas é uma excelente alternativa para o tratamento dessa condição, sendo um tópico de interesse na pesquisa dermatológica.

A vitamina B3, também chamada de Niacinamida, é descrita na literatura devido as suas diversas propriedades no tratamento da pele. Estudos relatam que a vitamina B3 possui propriedades anti-inflamatória, antipruritica, clareadora, sebostática e antimicrobiana (4).

Um estudo de Khodaeian e colaboradores (2013) comparou o uso da vtiamina B3 com o da clindamicina, a qual vem sendo usada extensivamente no campo dermatológico para o tratamento da acne inflamatória e promovendo bons resultados. Essa comparação também foi descrita por Shalita et al (1995), se apresentando como uma boa alternativa para o uso de antibióticos e mais vantajosa, devido aos outros benefícios relatados para a pele (5,6).

Nicotinamida, a forma amida da vitamina B3, apresenta a capacidade de aumentar a energia celular e também regular a poli-ADP-ribose-polimerase 1, uma enzima que apresenta um papel importante no reparo do DNA e expressão de citocinas inflamatórias, o que é de grande importância para o tratamento de uma série de condições dermatológicas, incluindo a acne (7).

Nesse contexto, a vitamina B3 apresenta potenciais benefícios para o tratamento das condições da pele oleosa, controlando o fator patogênico da acne (Cutibacterium acnes), devido a função antimicrobiana da Niacinamida, assim como propriedades no controle da secreção de sebo.

Por fim, considerando um estudo anterior do nosso grupo de pesquisa que mostrou os benefícios da aplicação da vitamina B3 em associação com a vitamina B6 e Zn-PCA no tratamento da pele oleosa com acne inflamatória (8), o objetivo do presente estudo foi avaliar a eficácia clínica de uma formulação cosmética contendo vitamina B3 para o tratamento da pele oleosa por meio de técnicas de biofísica e análise de imagem da pele.

Material e Métodos

Formulações estudada

Foram elaboradas duas formulações tópica de creme de gel à base de goma xantana, ésteres de tribehenina PEG-20, miristato de octildodecil, polipropileno e sorbitano PEG – 10, adicionada ou não (veículo) com 3% de vitamina B3 – nicotinamida (Tabela 1).

 

 

Design de estudo

O presente estudo foi um estudo monocêntrico, duplo-cego, randomizado, controlado, placebo, sobre os efeitos de formulações cosméticas adicionadas com vitamina B3 na pele oleosa após quatro semanas de tratamento. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto / SP (CEP / FCFRP 248/2012) e seguiu os regulamentos atuais de Boas Práticas Clínicas.

Todos os sujeitos do teste receberam informações detalhadas listando todos os parâmetros relevantes para o estudo e todos os procedimentos envolvidos. Todos os sujeitos assinaram o termo de consentimento livre e esclarecido após informações por escrito e a possibilidade de mais questionamentos. Este estudo foi realizado de acordo com os padrões éticos da Declaração de Helsinque de 1975, revisada em 2013.

Participantes

Um total de 40 indivíduos saudáveis do sexo feminino foram incluídos no estudo: 20 indivíduos foram randomizados para cada um dos dois grupos de tratamento para usar as formulações cosméticas em estudo que foi adicionada ou não com 3% de vitamina B3 (nicotinamida). Os voluntários foram instruídos a aplicar a formulação na região facial, duas vezes ao dia por um período de quatro semanas. As medidas basais e finais foram realizadas nas regiões frontal (testa), malar (bochechas) e queixo.

Os critérios de inclusão para este estudo foram mulheres saudáveis, com idade entre 18 e 30 anos (distribuição homogênea entre os grupos de tratamento), apresentando pele oleosa e acne, fototipo II-IV (escala de Fitzpatrick); boa saúde geral e condição mental; evitar a exposição ao sol durante o período do estudo; consentimento pessoal informado para participar do estudo; presença pessoal nos dias predefinidos no instituto e disposição e capacidade de seguir as regras do estudo e um cronograma fixo, informadas de que os dados podem ser usados para compartilhar o projeto. Também foi instruído aos participantes do estudo que não usassem outros produtos cosméticos e que não mudassem seus hábitos alimentares durante o período do estudo.

Os critérios de exclusão foram os seguintes: qualquer desvio dos critérios de inclusão mencionados acima: gravidez (ou intenção de engravidar) ou no período de amamentação; doenças de pele (por exemplo, eczema atópico, neurodermatite ou psoríase) nas áreas de teste ou outros distúrbios dermatológicos (por exemplo, cicatrizes, queimaduras ou moles), cuja terapia pode influenciar os resultados do estudo, como esteróides sistêmicos ou antibióticos, esteróides ou agentes locais tópicos imunomoduladores três meses antes do estudo; hábito de fumar; distúrbios graves dentro de 6 meses antes do início do estudo (por exemplo, câncer, distúrbios cardíacos e de circularidade agudos, diabetes grave ou abuso de álcool ou drogas); histórico de eventos médicos ou cirúrgicos que podem afetar significativamente o resultado do estudo, incluindo qualquer doença cardiovascular, doença de pele, doenças gastrointestinais, indigestão, hipertensão (> 160/95 mm Hg em medições repetidas); participação em qualquer outro estudo clínico; tratamentos médicos na área de estudo 30 dias antes do início do estudo; uso de camas de bronzeamento ou produtos de autobronzeamento um mês antes ou durante o estudo; qualquer outra condição que, na opinião do investigador, possa interferir nos resultados ou envolva um risco para o sujeito (9).

Avaliação clínica

As áreas de teste foram as regiões frontal (testa), malar (bochechas) e queixo, com os lados escolhidos aleatoriamente. Em todas as medições, as participantes tiveram que expor suas áreas de teste descobertas às condições climáticas internas (21,5 ± 1ºC e 50 ± 5% de umidade relativa) por 20 minutos.

Foram realizadas medidas imediatamente antes de iniciar o tratamento (valores basais) e após 14 (t14) e 28 dias (t28) de estudo.

A medição da perda de água transepidérmica (TEWL) foi realizada por meio do Tewameter® TM 210 (Courage Khazaka, Electronic GmbH, Alemanha), que mede a porcentagem de umidade relativa na superfície da pele. Utiliza um eletrodo sensor envolto em uma sonda adequada, com base nos princípios descritos por Adolf Fick em 1885. Os valores são registrados em g / m².h. A sonda do dispositivo permanece em contato com a pele para obter 45 medidas em três áreas de estudo. Três medidas foram feitas em cada área de estudo e calculou a média dos valores obtidos (10).

O nível de sebo casual foi determinado com um dispositivo fotométrico (Sebumeter® SM 815, Courage + Khazaka, Colônia, Alemanha). Uma fita plástica opaca especial (64 mm2) foi pressionada sobre a pele por 30 s com uma leve pressão para coletar o sebo. O aumento resultante na transparência da fita foi medido e os valores exibidos correspondem à quantidade de sebo na superfície da pele em microgramas de sebo por centímetros quadrados (11).

Para contagem de porfirinas na superfície folicular foi utilizado o equipamento Visiopor® PP 34. Este equipamento, utiliza uma câmera de luz UV específica para visualizar as lesões da acne fluorescente em uma área de 8 x 10 mm. Três imagens foram obtidas no mesmo local em cada região e conduzidas contando o número de pontos fluorescentes vermelho-alaranjado em cada imagem através do próprio software do dispositivo. Esses pontos são metabólitos endógenos das porfirinas da bactéria P. acnes. A análise estatística foi usada para a média de pontos marcados entre as três imagens (12).

Por fim, foi realizada após o final do estudo uma análise da percepção de eficácia por meio de um questionário que comparava e analisava a pele antes e após o tratamento em termos de redução da oleosidade, cravos, acne e melhora da hidratação e suavidade da pele.

Análise Estatística

A análise estatística foi realizada de acordo com a distribuição dos dados, sendo que para uma distribuição normal aplicou-se o teste paramétrico ANOVA e não normal, o teste não paramétrico, Friedman, realizado pelo software GraphPad Prism 5.

Resultados e Discussão

Após análise estatística dos parâmetros avaliados no estudo de eficácia em longo prazo, observou-se que a formulação contendo vitamina B3 promoveu redução significativa da quantidade de sebo após 28 dias de aplicação em comparação com os valores basais (Figura 1). Este efeito não foi observado no grupo que utilizou a formulação veículo.

 

 
 

Também foi observada uma diminuição na contagem de porfirina no grupo que utilizou a formulação de vitamina B3 após 28 dias de tratamento (Figura 2). Além disso, a análise estatística mostrou que os resultados foram mais pronunciados na região frontal da face.

 

 

 

Não foram observadas alterações significativas na perda transepidermica de água.

 

Na avaliação da percepção de eficácia foi possível observar que as participantes do estudo perceberam uma redução na quantidade de sebo, cravos e acne após o tratamento com a formulação contendo vitamina B3, além de melhora na hidratação e suavidade da pele (Figura 3).

 

A nicotinamida tópica demonstrou ser efetiva no tratamento da acne vulgar devido ao seu efeito sebo-supressor, propriedades anti-inflamatórias e curativas. A avaliação dos resultados mostrou que a aplicação tópica de formulações contendo nicotinamida apresentou uma redução significativa no conteúdo de sebo após e também uma redução significativa na contagem de porfirinas após 28 dias de aplicação. Esse resultado pode ser explicado devido ao seu efeito antimicrobiano (13).

Um estudo anterior do nosso grupo de pesquisa (12) mostrou que a presença e a quantidade de porfirinas no rosto estão relacionadas à secreção de sebo na pele e foi encontrada uma correlação positiva entre essas características. Nesse contexto, a redução do sebo juntamente com redução da contagem de porfirinas na pele corrobora com os resultados anteriores de nossa pesquisa.

Também foi relatado na literatura que as alterações na microbiota da pele estão relacionadas ao tipo de pele, observando-se que a pele oleosa apresenta um aumento na bactéria Cutibacterium acnes devido à quantidade excessiva de óleo consumida por essa bactéria (14).

Nesse contexto, o presente estudo mostrou que o uso de 3% de vitamina B3 apresentou uma redução significativa no conteúdo de sebo e porfirinas após 28 dias de aplicação. Além disso, estudos anteriores (15) relataram que o uso tópico de nicotinamida demonstrou melhorar as linhas finas e rugas, manchas hiperpigmentadas, manchas vermelhas e amarelamento, bem como a elasticidade da pele.

Também foi relatado um aumento da produção de colágeno e ceramidas da pele, que estimula a diferenciação de queratinócitos, levando a uma melhora da função barreira e aparência da pele. É importante destacar que o uso da nicotinamida é comparável ao tratamento antibiótico tópico com gel de clindamicina (16), com a vantagem de que os efeitos colaterais da nicotinamida são muito mais seguros que os das substâncias antibióticas e que não cria patógenos resistentes a antibióticos. Dessa forma, o uso de vitamina B3 pode ser apresentado como uma ótima alternativa ao tratamento da pele oleosa (17).

Esses efeitos têm uma grande importância para a área dermatológica, pois contribuem para o tratamento da pele oleosa como um todo, sem o uso de qualquer substância clássica para essas condições de pele, que geralmente são mais agressivas à saúde da pele como um todo. Além disso, a adição de substâncias que podem melhorar a função de barreira da pele, mantendo a manutenção das camadas da pele, é muito importante, pois não causa danos ao tratar o excesso de sebo.

Ao mesmo tempo, na avaliação da percepção de eficácia, os participantes relataram não sentir a pele oleosa e observou-se uma redução na presença de acne e cravos. Além disso, os participantes relataram perceber que a pele ficou mais hidratada e macia. A eficácia percebida é de grande importância, uma vez que os resultados obtidos nas medidas instrumentais são observados pelos participantes do estudo (18), o que auxilia na adesão ao tratamento e consequentemente na eficácia com a aplicação da formulação (12).

Em síntese, após a análise estatística dos dados obtidos, a formulação contendo vitamina B3 em estudo mostrou redução significativa da quantidade de sebo quando comparada aos valores basais. Também foi observada uma redução na contagem de porfirinas e não foram observadas alterações na barreira cutânea. Os questionários aplicados mostraram que os participantes sentiram uma melhora na aparência geral e no bem-estar da pele ao usar a formulação em estudo.

Em conclusão, a vitamina B3 foi eficaz para aplicação em formulações oleosas para o cuidado da pele, reduzindo a quantidade de sebo e porfirina, melhorando a aparência da pele e o bem-estar dos participantes, sendo uma ótima alternativa para o tratamento da pele oleosa, devido às suas propriedades complementares na melhora das condições da pele e da qualidade de vida das mulheres.

Por fim, o estudo tem como contribuição a comprovação clínica dos benefícios do uso tópico da vitamina B3 para o controle da oleosidade da pele por medidas instrumentais.

Declaração dos contributos de cada autor

Concepção e desenho do estudo: Patricia M.B.G. Maia Campos. Metodologia: Patricia M.B.G. Maia Campos e Marcella G.A. Leite. Analise formal: Patricia M.B.G. Maia Campos e Marcella G.A. Leite. Redação: Patricia M.B.G. Maia Campos e Marcella G.A. Leite. Redação – revisão e edição: Patricia M.B.G. Maia Campos.

Agradecimentos

Os autores gostariam de expressar seus agradecimentos à FAPESP- Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo e CNPq – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

Conflito de interesses

O Editor presente na autoria deste manuscrito não participou nos processos de pessoais revisão e/ou decisão. Os autores declararam não possuir quaisquer relações financeiras ou que possam configurar um potencial conflito de interesse.

Referências

1. Sakuma, T.H., Maibach, H.I. (2012) Oily Skin: An Overview. Skin pharmacology and physiology, 25(5), 227–235. https://doi.org/10.1159/000338978

2. Nouveau-Richard, S., Zhu, W., Li, Y. H., Zhang, Y. Z., Yang, F. Z., Yang, Z. L., Lian, S., Qian, B. Y., Ran, Y. P., Bouillon, C., Chen, H. D., & de Lacharrière, O. (2007). Oily skin: specific features in Chinese women. Skin research and technology : official journal of International Society for Bioengineering and the Skin (ISBS) [and] International Society for Digital Imaging of Skin (ISDIS) [and] International Society for Skin Imaging (ISSI), 13(1), 43–48. https://doi.org/10.1111/j.1600-0846.2006.00185.x 

3. Wu, Y., Niu, Y., Zhong, S., Liu, H., Zhen, Y., Saint-Leger, D., Verschoore, M. (2013) A preliminary investigation of the impact of oily skin on quality of life and concordance of self-perceived skin oiliness and skin surface lipids (sebum). International Journal of Cosmetic Science, 35, 442–447. https://doi.org/10.1111/ics.12063

4. Wohlrab, J., Kreft, D. (2014) Niacinamide – Mechanisms of Action and Its Topical Use in Dermatology. Skin Pharmacology and Physiology,27, 311–315. https://doi.org/10.1159/000359974

5. Khodaeiani, E., Fouladi, R.F., Amirnia, M., Majid, S., Karimi, E.R. (2013) Topical 4% nicotinamide vs. 1% clindamycin in moderate inflammatory acne vulgaris. International Journal of Dermatology, 2013, 52: 999–1004.https://doi.org/10.1111/ijd.12002

6. Shalita, A.R., Smith, J.G., Parish, L.C. (1995) Topical nicotinamide compared with clindamycin gel in the treatment of inflammatory acne vulgaris. International Journal of Dermatology, 34, 434–437. https://doi.org/10.1111/j.1365-4362.1995.tb04449.x

7. Chen, A.C., Damian, D.L. (2014) Nicotinamide and the skin. Australasian Journal of Dermatology, 55, 169–175. https://doi.org/10.1111/ajd.12163

8. Andrade, J.P., Wagemaker, T.A.L., Mercurio, D.G., Maia Campos, P.M.B.G. (2018) Benefits of a dermocosmetic formulation with vitamins B3 and a B6 derivative combined with zinc-PCA for mild inflammatory acne and acne-prone skin. Biomedical and Biopharmaceutical Research, 15(2), 214-223. doi: 10.19277/bbr.15.2.188

9. Maia Campos, P.M.B.G., Melo, M.O., Calixto, L.S., Fossa, M.M. (2015) An Oral Supplementation Based on Hydrolyzed Collagen and Vitamins Improves Skin Elasticity and Dermis Echogenicity: A Clinical Placebo-Controlled Study. Clinical Pharmacology Biopharmaceutic, 4, 142. doi:10.4172/2167-065X.1000142

10. Rogiers, V., EEMCO Group. (2001) EEMCO guidance for the assessment of transepidermal water loss in cosmetic sciences. Skin Pharmacology and Physiology, 14(2), 117- 128. https://doi.org/10.1159/000056341

11. Crowther, J.M. (2015) Method for quantification of oils and sebum levels on skin using the Sebumeter®International Journal of Cosmetic Science,38, 210–216. https://doi.org/10.1111/ics.12258

12. Gabarra Almeida Leite, M., & Maia Campos, P. (2020). Correlations between sebaceous glands activity and porphyrins in the oily skin and hair and immediate effects of dermocosmetic formulations. Journal of cosmetic dermatology, 19(11), 3100–3106. https://doi.org/10.1111/jocd.13370

13. Rolfe H. M. (2014). A review of nicotinamide: treatment of skin diseases and potential side effects. Journal of cosmetic dermatology, 13(4), 324–328. https://doi.org/10.1111/jocd.12119

14, Zheng, Y., Liang, H., Zhou, M., Song, L., He, C. (2021) Skin bacterial structure of young females in China: The relationship between skin bacterial structure and facial skin types. Experimental Dermatology, 30(10),1366-1374. https://doi.org/10.1111/exd.14105

15. Tran, D., Townley, J.P., Barnes, T.M., Greive, K.A. (2015) An antiaging skin care system containing alpha hydroxy acids and vitamins improves the biomechanical parameters of facial skin. Clinical, Cosmetic and Investigational Dermatology, 8, 9–17. https://doi.org/10.2147/CCID.S75439

16, Khodaeiani, E., Fouladi, R.F., Amirnia, M., Saeidi, M., Karimi, E.R. (2013) Topical 4% nicotinamide vs. 1% clindamycin in moderate inflammatory acne vulgaris. International Journal of Dermatology, 52, 999–100. https://doi.org/10.1111/ijd.12002 

17. Wohlrab, J., Kreft, D. (2014) Niacinamide - Mechanisms of Action and Its Topical Use in Dermatology. Skin Pharmacology and Physiology, 27, 311-315. https://doi.org/10.1159/000359974

18. Bonilha, G.C., Costa, G.M.D. Maia Campos, P.M.B.G. (2020) Rheological, texture, and sensory analyses and in vivo clinical efficacy of cosmetic formulations containing ascorbyl tetraisopalmitate. Biomedical Biopharmaceutical Research, 17(1), 1-12. doi: 10.19277/bbr.17.1.228

Copyright © 2023 ALIES. All Rights Reserved.Designed by templatemesh.com Powered by Joomla!